terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Redes sociais: aspectos positivos e negativos

As redes sociais chegaram para ficar. O Facebook conta com mais de 800 milhões de utilizadores em todo o mundo, enquanto o Twitter atrai mais de 200 milhões de pessoas. Não podemos esquecer também das outras redes como Youtube, Orkut, MySpace e até blogs.
Não há dúvidas quanto ao envolvimento dos alunos com todas essas ferramentas online, porém, quais os efeitos disso? Fizemos uma breve comparação entre os pontos positivos e os negativos dessa relação dos jovens com as redes sociais. Essa é uma boa visão para que pais e educadores saibam como conter e evitar os possíveis efeitos negativos e reflictam sobre maneiras de explorar os impactos positivos.

Possíveis Pontos Negativos
 1. Muitos estudantes não sabem lidar com a grande oferta de informações que a internet oferece. Muitos aceitam tudo o que lêem na internet como verdade absoluta e isso interfere no processo de aprendizagem e do seu próprio desenvolvimento crítico perante o que lhes é apresentado.
2. O jovem dos dias de hoje é multifuncional, consegue enviar mensagens por telemóvel ao mesmo tempo que envia um e-mail. Porém, isso pode ter consequências negativas se não for bem administrado. O acesso às redes sociais durante os momentos de estudo, por exemplo, pode causar distracção e interferir no seu desempenho escolar.
3. O excesso pode ser arriscado. Ao gastarem horas e horas nas redes sociais, os jovens deixam de interagir cara-a-cara, em situações normalíssimas do dia-a-dia e isso pode prejudicá-los seriamente, especialmente nas relações interpessoais. Com menos interacções reais e mais virtuais, eles podem ter a capacidade de comunicação comprometida (a internet não exige entonações, linguagem corporal, entre outras). O mundo offline jamais pode ser substituído pelo online. Há situações impossíveis de resolver sem encarar a realidade!
4. A popularidade das redes sociais e a velocidade das trocas via internet (de conhecimentos), criaram novas maneiras de escrever e falar, isto é, transformaram a língua portuguesa, facultando-lhe novos aspectos e sentidos. Toda esta nova condição pode interferir na qualidade de aprendizagem dos mais jovens, pois a linguagem usada na internet não é apreciada nem mesmo reconhecida no novo acordo ortográfico. A sua utilização só se limita ao meio virtual em conversas online. Os trabalhos escolares pedidos pelos docentes, como é óbvio, exigem uma linguagem considerada formal. Contudo, palavras como “vc”, “eh”, “baum” acabam por aparecer nos trabalhos escolares e os jovens, por muitas vezes desconhecerem a escrita formal, acabam dependendo de corretores automáticos ou programas que os auxiliem nesse sentido.
5. Muitos estudantes não pensam antes de postar ou publicar algum conteúdo na internet. É preciso lembrar, porém, que tudo o que escrevemos na internet pode ser visto e logicamente, julgado. Publicações com conteúdos comprometedores podem trazer complicações ao aluno ao longo de sua jornada escolar e profissional. Algumas escolas, por exemplo as mais prestigiadas, maioritariamente de ensino privado, procuram informações prévias sobre futuros alunos e dependendo do que encontram, o estudante pode ser prejudicado. É feita uma pré-selecção, uma forma discriminatória de modo a manter a sua reputação impecável e «limpa». A internet é um livro aberto, por isso, orientar o jovem nesse aspecto é essencial.

 Possíveis Pontos Positivos
1. As redes sociais aumentam a sua interactividade e a possibilidade dos alunos se expressarem e colaborarem com a produção de informação.  A dinâmica rápida (quase instantânea) do mundo online deu ao jovem a capacidade de desenvolver pensamento rápido, qualidade que é extremamente apreciada na realidade em que vivemos.
2. As redes sociais ensinam os jovens importantes situações do mundo real. Por exemplo, a noção de “rede de contactos” é usada por meio de comunidades como Facebook e isso pode ajudar o jovem ao longo da sua vida. Ser capaz de criar redes de contacto sólidas é extremamente importante para o desenvolvimento tanto pessoal, como profissional e académico. São criadas assim novas oportunidades de trabalho ou troca de saberes sobre certa área.
3. Pelo enorme contacto que possui com as novas tecnologias, o jovem domina-as completamente. Esse domínio é extremamente útil, já que hoje, o desenvolvimento natural que o mundo tem, depende das novas tecnologias. Ter essa habilidade é estar pronto para as exigências que virão pela frente.
4. Desenhar um perfil online, numa rede social, é fácil. Construir e desconstruir tornou-se parte da vida desses jovens. Eles fazem perfis, definem quem são, apagam perfis, desaparecem e aparecem quando bem entendem, e da forma que quiserem. Essa dinâmica proporciona a flexibilidade. Com esse movimento constante, eles controlam o que querem ser e quando o querem ser. Isso pode ser relevante para situações do dia-a-dia e ao longo da vida, em que, muitas vezes, devemos assumir determinados comportamentos, dar nossa opinião, nos calarmos, enfim, sermos flexíveis e nos adaptarmos aos diferentes cenários que nos são impostos.
5. A internet abre um mundo favorável à criatividade. Ter o meu próprio blog ou a minha própria página ou site de fotos, dá abertura para que o jovem se expresse e mostre seu talento. Ao compartilhar com os outros, ele tem um feedback instantâneo sobre a sua produção, o que pode motivá-lo e até mesmo ajudá-lo a construir e seguir sonhos e objectivos. Pode mesmo ajuda-lo a definir a sua carreira profissional.


Nenhum comentário:

Postar um comentário